Fazia a lista de compras com um ar ligeiramente sonhador. Amachucava pedacinhos de papel que no fim pareciam smarties.

- Estou sempre contigo, sempre.
- E tu pesas-me.
- Sem ti, sinto-me num vácuo.
- És de chumbo.

E na lista de compras lá vinha um quilo de arroz, um litro de azeite, duas latas de atum.

O sol, como uma flor, fazia da cozinha uma festa, a que as cortinas conferiam ar de templo. No fogão ardia o leite, ouvia-se o chiar da máquina de café e o coração como um atleta, cada vez mais pálido cada vez mais longe.

Carlos Bessa




a sul de nenhum norte...












se me perguntares por
que fugi, talvez te diga
que os dias contados para trás tão depressa
fazem doer o coração e
apenas acrescentam
a incomparável morte das
palavras não mais proferidas.

José Ricardo Lopes









É o frio que nos tolhe ao domingo
no Inverno, quando mais rareia
a esperança. São certas fixações
da consciência, coisas que andam
pela casa à procura de um lugar 
e entram clandestinas no poema. 
São os envelopes da companhia
da água, a faca suja de manteiga
na toalha, esse trilho que deixamos
atrás de nós e se decifra sem esforço
nem proveito. É a espera 
e a demora. São as ruas sossegadas
à hora do telejornal e os talheres
da vizinhança a retinir. É a deriva
nocturna da memória: é o medo
de termos perdido sem querer
a nossa vez.

Rui Pires Cabral













Os versos
que te digam
a pobreza que somos,
o bolor nas paredes
deste quarto deserto,
o orvalho da amargura
na flor de cada sonho
e o leito desmanchado,

o peito aberto
a que chamaste
amor.

Carlos de Oliveira





a sul de nenhum norte...














desconcertante é que tão grande tristeza caiba dentro de tão pequeno peito.
às vezes morre-se tanto, e tão cedo.

Al Berto











O médico perguntou:
- O que sente?

E eu respondi:
- Sinto lonjuras, doutor. Sofro de distâncias...

Caio F. Abreu









Resta esse constante esforço para caminhar dentro do labirinto
Esse eterno levantar-se depois de cada queda
Essa busca de equilíbrio no fio da navalha
Essa terrível coragem diante do grande medo, 

e esse medo infantil de ter pequenas coragens.

Vinicius de Moraes









estão aqui 37 graus.
é um corpo. 
e ninguém se aproxima.
senão para recuar. 
devorar. 
ou ficar.


vasco gato










Na música que é tua,
meus lábios torrenciais
caem pesados, duros.
E nunca mais.

Despenham-se a prumo:
vidros ou punhais.
Arrastam-te ao fundo.
E nunca mais.


Eugénio de Andrade

























despem-se diante dos olhos dois corpos de luz
mas a inclinação da luz é rasa
é a fricção dos corpos que ilumina a biblioteca
dos livros perde-se a cor da antiguidade
dos sorrisos inverte-se a obliquidade das palavras
e em silêncio inveja-se a luz produzida
as página e os corpos tocam-se de perto
por desejo, imagino eu que leio só.

André Tomé




a sul de nenhum norte...














She's mad but she's magic.
There's no lie in her fire.

Charles Bukowski








in that drunken place
you would
like to hand your heart to her
and say
touch it
but then
give it back.

Charles Bukowski 




a sul de nenhum norte...





hoje é dia de coisas simples

al berto













Porque não sei mentir,
Não vos engano:
Nasci subversivo.
A começar por mim - meu principal motivo
De insatisfação -
Diante de qualquer adoração,
Ajuízo.
Não me sei conformar.
E saio, antes de entrar,
De cada paraíso. 



Miguel Torga










Nós somos casas muito grandes, muito compridas. É como se morássemos apenas num quarto ou dois. Às vezes, por medo ou cegueira, não abrimos as nossas portas.


António Lobo Antunes







a sul de nenhum norte...
















quem me dera que a chuva viesse e nos diluísse um ao outro,
e pela noite corrêssemos como um regato em direcção ao mar.

Al Berto













 - "Love is an excuse to get hurt and to hurt.
 - Do you like to hurt?
 - I do... I do.
 - Then hurt me."










a sul de nenhum norte...















Às vezes, pequenos grandes terremotos
ocorrem do lado esquerdo do meu peito.
Fora, não se dão conta os desatentos.
Entre a aorta e a omoplata rolam
alquebrados sentimentos.
Entre as vértebras e as costelas
há vários esmagamentos.
Os mais íntimos
já me viram remexendo escombros.
Em mim há algo imóvel e soterrado
em permanente assombro.


Affonso Romano de Sant'Anna









a partir desta data, 
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela - silêncio perpétuo.

Paulo Leminski




a sul de nenhum norte...









Lembro-me bem do seu olhar.
Ele atravessa ainda a minha alma.
Como um risco de fogo na noite.
Lembro-me bem do seu olhar. O resto...
Sim o resto parece-se apenas com a vida.
Ontem, passei nas ruas como qualquer pessoa.
Olhei para as montras despreocupadamente
E não encontrei amigos com quem falar.

Tão triste que me pareceu que me seria impossivel
Viver amanhã, não porque morresse ou me matasse,
Mas porque seria impossivel viver amanhã e mais nada.

Fumo, sonho, recostado na poltrona.
Dói-me viver como uma posição incómoda.
Deve haver ilhas lá para o sul das cousas
Onde sofrer seja uma cousa mais suave.
Onde viver custe menos ao pensamento,
E onde a gente possa fechar os olhos e adormecer ao sol
E acordar sem ter que pensar em responsabilidades sociais
Nem no dia do mês ou da semana que é hoje.

Abrigo no peito, como a um inimigo que temo ofender,
Um coração exageradamente espontâneo
Que sente tudo o que eu sonho como se fosse real,
Que bate com o pé a melodia das canções que o meu pensamento canta,
Canções tristes, como as ruas estreitas quando chove.

Álvaro de Campos








Nos dias tristes não se fala de aves
liga-se aos amigos e eles não estão
e depois pede-se lume na rua
como quem pede um coração
novinho em folha.

Nos dias tristes é inverno
e anda-se ao frio de cigarro na mão
a queimar o vento
e diz-se bom dia!
às pessoas que passam
depois de já terem passado
e de não termos reparado nisso.

Nos dias tristes fala-se sozinho
e há sempre uma ave que pousa
no cimo das coisas
em vez de nos pousar no coração
e não fala connosco.

Filipa Leal



a sul de nenhum norte...








E ousaram – aventura a mais incrível- 
Viver a inteireza do possível.

Sophia de Mello Breyner Andresen









Amar é ver diferente.
Depois fica-se cego.
Mas primeiro é ver diferente.

Gonçalo M. Tavares









‎(do silêncio). 
do sinal de fogo.citar-te, escrever-te, transcrever-te, conjugar-te, oralizar-te
na orla do teu tronco demasiado extenso
para a curva do vento órfão de vontades. 
(do silêncio). grotesco. do sinal de fogo. literatura.
comer-te. beber-te com rigor moral, como consta
do guião de contra-indicações. infra.
(do silêncio).
 ler-te. do sinal de fogo. contar-te
uma história verídica num outro contexto.
incomensurável. definitivamente provisório. belo.
(do silêncio). 
quadriculado, vândalo. do sinal de fogo.
do ruído preceptivo. do processo de esverdeamento
do corpo com saudade. da cápsula de tempo.
(do silêncio).
 um acto. do homem que se debruça
sobre cada órbita. um gesto. do mundo digestivo. instintivo.
somos um acto mas não um gesto. mera raíz da voz oca.
e numa linha recta aberta refundimos como quem
se ouve a si mesmo. do silêncio. do sinal de fogo.

Sylvia Beirute







a sul de nenhum norte...






If something burns your soul with purpose and desire, it's your duty to be reduced to ashes by it.


Charles Bukowsk










When I was 18 I wanted to fuck on the floor and break shit. 
When I was 25 I wanted to fuck on the floor and break shit. 
When I was 35 I wanted to fuck on the floor and break shit. 
Now I’m 40 and I want to fuck on the floor and break shit.

Sylvia Plath




8 de Março




a sul de nenhum norte...







- And you'll always love me, won't you?
- Yes.
- And the rain won't make any difference?
- No.

Ernest Hemingway










persegue-me à toa.
nunca pares para pensar.
esquece as ruas. 

os teus caminhos estão em mim.

Valter Hugo Mãe
















You will hear thunder and remember me.
And think: she wanted storms.


The rim of the sky will be the colour of hard crimson.
And your heart, as it was then, will be on fire.

Anna Akhmatova